The economy and the environment in debate: limits and potential for a new scenario for sustainable development and objectives

Authors

DOI:

https://doi.org/10.37497/2965-730X.SDGsReview.v4.n00.pe01596

Keywords:

Sustainable Development, Economy, Sustainability, SDG

Abstract

Objective: This article is a theoretical essay that presents the limits and potential of the economy in internalizing social and environmental costs, in order to try to recover the reflections on the discussion of the relationship between the economy, the environment and sustainable development.

Method: In terms of methodological aspects, the research is classified as a bibliographical study, in which the source of data was obtained through secondary data, periodicals, books and other documents, the aim of which was to seek a deeper discussion of sustainable development.

Results: For a long time in human history, economics has sought to achieve the status of a science through mathematical models. However, economics is immersed in the social dimension and the environmental dimension, as it uses natural resources as an input for the production process and human activities.

Conclusions:  In addition, it presents the trajectory of the concept of sustainable development and the accumulated contributions from world conferences to a reflection on eco-development as a new path for balanced economic growth. This essay points out that it is possible to establish an intersection between the environmental, social and economic dimensions in promoting innovative dynamics of development and sustainability, as pointed out in Rifkin's experience of the Third Industrial Revolution, the ONU contribution to contemporary times with the 2030 Agenda with the Sustainable Development Goals (SDGs) for the whole of international society.

Downloads

Download data is not yet available.

Author Biographies

Evelyn Nunes de Melo Franzen, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) - Mestranda em Administração

Mestranda em Administração junto ao Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade do Estado de Santa Catarina (ESAG/UDESC). Graduada em Direito (UNISUL) e em Administração Pública (ESAG/UDESC). Tem interesse nos seguintes temas: Organização do Estado; Direito Constitucional; Desburocratização da Administração Pública; Ética da Liberdade; Ética das Virtudes; Escola Austríaca.

Elaine Cristina de Oliveira Menezes, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) - Professora

Possui graduação em Ciências Econômicas pela Universidade Federal de Santa Catarina (1998), mestrado em Administração pela Universidade Federal de Santa Catarina (2002) e doutorado em Sociologia Política pela Universidade Federal de Santa Catarina (2009). Pós-doutora pelo Programa de Pós-Graduação em Administração, Universidade Federal de Santa Catarina (2011) e pelo Programa de Pós-Graduação em Administração da ESAG/UDESC (2015). Professora do Curso de Administração Pública da Universidade Federal do Paraná. Tem experiência em pesquisas na área de gestão pública e participação social, orçamento público, planejamento governamental e desenvolvimento territorial sustentável.

Ruan Carlos dos Santos, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC-ESAG), Santa Catarina

Mestrado em Administração pela UNIVALI (2015-2017). Associado na ANEGEPE (Associação Nacional de Estudos em Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas), na ABEC (Associação Brasileira de Editores Científicos) e membro da ANACO (Associação Nacioanal de Compliance). Consultor/docente credenciado na École National D'Administration (ENA- Brasil). Membro do Grupo de Pesquisa em Finanças, Inovação, Controle, Empreendedorismo e Sustentabilidade (GFICES) pela Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira - UNILAB. Doutorando em Administração pela UDESC-ESAG (2022).

Richard Adriano Rosa, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Santa Catarina

Graduação em Administração Pública pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC).

References

ALMEIDA CARLOS, E. de. Exploring ESG Integration: A Study of Brazilian Insurers Listed on B3. ESG Law Review, v. 7, n. esg, 2024. DOI: 10.37497/esg.v7iesg.1616.

ALIER, Joan Martinez. Da economia ecológica ao ecologismo popular. Blumenau: FURB, 1998.

NORONHA, Matheus Eurico Soares de; VIEIRA SILVA, Rosemeire Souza; RODRIGUES, José Carlos; VALENTE, Lucas; SOUZA, Letícia Jahn. The Role of Industry 4.0 in Promoting Sustainable Practices: A Theoretical Analysis. SDGs Studies Review , São Paulo (SP), v. 2, n. goals, p. e041, 2021. DOI: 10.37497/sdgs.v2igoals.5.

BARBIERI, J. C. Organizações inovadoras sustentáveis. In: BARBIERI, J. C; SIMANTOB, M. Organizações inovadoras sustentáveis: uma reflexão sobre o futuro das organizações. São Paulo, Atlas, 2007.

BARBIERI, R.; SANTOS, D. F. L., Sustainable business models and eco-innovation: A life cycle assessment. Journal of Cleaner Production, v. 266, p. 121954, 2020. DOI: https://doi.org/10.1016/j.jclepro.2020.121954

CASTRO, B. S. de; ROLO FARES, L.; FERNANDES GONÇALVES, R.; FRICKMANN YOUNG, C. E. Avaliação das Fontes Potenciais de Financiamento para Projetos de Caráter Ambiental Relacionados aos ODS no Brasil. Revista Iberoamericana De Economía Ecológica, [S. l.], v. 31, n. 1, p. 29–45, 2019.

CAVALCANTI, Clóvis. Concepções da economia ecológica: suas relações com a economia dominante e a economia ambiental. Estud. av., São Paulo, v. 24, n. 68, 2010.

CECHIN, Andrei Domingues; VEIGA, José Eli da. A economia ecológica e evolucionária de Georgescu-Roegen. Rev. Econ. Polit., São Paulo , v. 30, n. 3, Sept. 2010.

DING, R. Economic growth: the theoretical debate on resources, the environment and growth limits and the choices faced by human beings. China Political Economy, Vol. 4 No. 1, pp. 2-13, 2021. https://doi.org/10.1108/CPE-05-2021-0002

GEORGESCU-ROEGEN, N. The entropy law and the economic process. Cambridge, Mass., EUA: Harvard University Press, 1971.

HE, F.; MIAO, X.; WONG, C. W.; LEE, S. Contemporary corporate eco-innovation research: A systematic review. Journal of Cleaner Production, 174, 502-526, 2008. DOI: https://doi.org/10.1016/j.jclepro.2017.10.314

Jannuzzi, P. de M.; Carlo, S. de. 2018. Da agenda de desenvolvimento do milênio ao desenvolvimento sustentável: oportunidades e desafios para planejamento e políticas públicas no século XXI. Bahia anál. dados, Salvador, v. 28, n. 2, p.6-27, jul.-dez.

KAPP, K. W. The social costs of business enterprise. Nottingham: Spokesman Books, 1963.

KAPP, K. William. Social Costs, Economic Development, and Enviromental Disruption, edited and introduced by John E. Ullmann (lanham, MD: university Press of America, 1983).

BIZARRIAS, Flávio Santino. Governance and Sustainability in Developing Countries: Intelectual Structure, Trends and Lessons From Brazil and China. SDGs Studies Review , São Paulo (SP), v. 5, n. goals, p. e0150, 2024. DOI: 10.37497/sdgs.v5igoals.8

LIU, Y.; NDUBISI, N. O.; LIU, Y.; BARRANE, F. Z. New product development and sustainable performance of Chinese SMMEs: The role of dynamic capability and intra-national environmental forces. International Journal of Production Economics, v. 230, p. 107817, 2020. DOI: https://doi.org/10.1016/j.ijpe.2020.107817

LUCA RIBEIRO, T. de; ANTÔNIO DE LIMA, A. Environmental, Social And Governance (ESG): A Bibliometric Review Study. ESG Law Review, v. 6, n. 1, p. e01571, 2023. DOI: 10.37497/esg.v6i1.1571.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS - ONU. Momento de ação global para as pessoas e o planeta, 2017b. Disponível em: <https://nacoesunidas.org/pos2015/>. Acesso em: 21 nov. 2017.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS - ONU. Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU completam 2 anos, 25 set. 2017c. Disponível em: . Acesso em: 21 nov. 2017.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS - ONU. Principais fatos, 2017d. Disponível em: <https://nacoesunidas.org/pos2015/principais-fatos/>. Acesso em: 20 nov. 2017.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS - ONU. Roteiro para a Localização dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável: Implementação e Acompanhamento no nível subnacional, 2016. Disponível em: <https://nacoesunidas.org/wp-content/ uploads/2017/06/Roteiro-para-a-Localizacao-dos-ODS.pdf>. Acesso em: 21 nov.2017.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS - ONU. Transformando Nosso Mundo: A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, 2015. Disponível em: . Acesso em: 12 nov. 2017.

PATEL, H. M. The transformative role of artificial intelligence in modern agriculture. Review of Artificial Intelligence in Education, v. 4, p. e14, 2023. DOI: 10.37497/rev.artif.intell.educ.v4i00.14.

PENGUE, W.; MORELLO, J.; RODRÍGUEZ, A. Estratégias para a sustentabilidade no Mercosul. Revista Iberoamericana De Economía Ecológica, [S. l.], v. 2, n. 1, p. 1–8, 2019.

RAMOS, A. G. A nova ciência das organizações. Uma reconceituação das riquezas nas nações. Rio de Janeiro, Fundação Getúlio Vargas, 1981.

RIFKIN, Jeremy. A Terceira Revolução Industrial – Como o poder lateral está transformando a energia, economia e mundo. São Paulo: M. Books do Brasil, 2012.

SACHS, Ignacy. Caminhos para o desenvolvimento sustentável / organização: Paula Yone Stroh. – Rio de Janeiro: Garamond, 2008. 3ª ed.

ROCHA, I.; LOPES, L. L. S. O O Processo de Implementação da Inteligência Competitiva em uma Organização de Serviços. Revista Inteligência Competitiva, v. 13, p. e0438, 2023. DOI: 10.24883/IberoamericanIC.v13i.438.

SACHS, Ignacy. Ecodesenvolvimento, crescer sem destruir. São Paulo: Vértice, 1986.

SACHS, Ignacy. Ecodesenvolvimento: 1972-1992. In: Agricultura e Meio Ambiente. Rio de Janeiro:Universidade Federal do Rio de Janeiro. Ano 1, n. 1, 1992.

SACHS, Ignacy. Estratégias de transição para o século XXI: desenvolvimento e meio ambiente. São Paulo: Studio Nobel e FUNDAP, 1993.

SACHS, Ignacy. Rumo à ecossocioeconomia: teoria e prática do desenvolvimento. São Paulo:Cortez, 2007.

SARTORI, S.; LATRÔNICO, F.; CAMPOS, L. M. S. Sustentabilidade e desenvolvimento sustentável: uma taxonomia no campo da literatura. Ambiente & Sociedade, [S. l.], v. 17, n. 1, p. 1–22, 2014. DOI: https://doi.org/10.1590/1809-44220003490

SEN, Amartya Kumar. Desenvolvimento como liberdade. Tradução Laura Teixeira Motta. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

SEVERO, E. A.; GUIMARÃES, J. C. F. D.; SILVA OLIVEIRA, N. Q. da. The Synergy of Sustainable Development Goals and Eco-Innovation: A Quantitative Study from the Brazilian Perspective. Journal of Lifestyle and SDGs Review, [S. l.], v. 2, n. 00sdg, p. e01550, 2022. DOI: 10.37497/2965-730X.SDGsReview.v2.n00sdg.pe01550.

SILVA, A. de O.; JANES, D. dos S. (2023). Perspectives on Sustainable Development: The Intersection of Publishing and Academic Research in Advancing SDGs. Review of Sdgs in Emerging Countries, 5(00), e0029.

SOUSA, A. M. R.; FONTENELE, R. E. S.; SANTOS, R. C. dos. Individual and Environmental Dimensions in Entrepreneurial Intention of University Students. Revista Inteligência Competitiva, v. 13, p. e0434, 2023. DOI: 10.24883/IberoamericanIC.v13i.2023.e0434.

VANHULST, J.; BELING, A. E. Boa vida: o surgimento da América Latina no campo gravitacional do desenvolvimento sustentável. REVISTA IBEROAMERICANA DE ECONOMÍA ECOLÓGICA, [S. l.], v. 21, n. 1, p. 1–14, 2018.

VIEIRA, Paulo Freire. Rumo ao desenvolvimento territorial sustentável: esboço de roteiro metodológico participativo. Eisforia: desenvolvimento territorial sustentável: conceitos, experiências e desafios teórico-metodológicos. Florianópolis, v. 4, n. especial, dez. 2006.

ZUBERMAN, F. Contribuições do pensamento de Franz Hinkelammert e sua economia orientada à vida para as discussões da Economia Ecológica. REVISTA IBEROAMERICANA DE ECONOMÍA ECOLÓGICA, [S. l.], v. 32, n. 1, p. 131–147, 2020.

WORLD CONSERVATION STRATEGY: living resource conservation for sustainable development. Gland, Switzland: IUCN, 1980.

VELENTURF, A. P.M.; PURNELL, P. Principles for a sustainable circular economy. Sustainable Production and Consumption, v. 27, n.1, p.1437-1457, 2021. https://doi.org/10.1016/j.spc.2021.02.018

Downloads

Published

2024-05-17

How to Cite

Franzen, E. N. de M., Menezes, E. C. de O., Santos, R. C. dos, & Rosa, R. A. (2024). The economy and the environment in debate: limits and potential for a new scenario for sustainable development and objectives. Journal of Lifestyle and SDGs Review, 4(00), e01596. https://doi.org/10.37497/2965-730X.SDGsReview.v4.n00.pe01596

Similar Articles

1 2 3 > >> 

You may also start an advanced similarity search for this article.